Estado do RJ e empresas debatem sobre a expansão de investimentos no Norte Fluminense

Estado do RJ e empresas debatem sobre a expansão de investimentos no Norte Fluminense

A Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Energia e Relações Internacionais se reuniu com representantes do fundo de investimentos Mubadala Capital, Prumo e GNA a fim de traçar caminhos para a expansão dos investimentos no Norte Fluminense. Dentre os temas estão ações necessárias para ampliar a competitividade de projetos de geração de energia a partir do gás natural no estado.

– As termelétricas são fundamentais para atrair e monetizar o gás produzido no pré-sal, para ser tratado no Rio e atender às demandas da indústria local e de todo o estado do Rio – avalia o secretário Leonardo Soares. A reunião é continuidade de encontro realizado no final do ano passado com governador em exercício Cláudio Castro. 

– O projeto é tratado como prioritário para o governo do Rio. Vamos fazer o que estiver ao alcance do estado para corrigir qualquer aspecto que diminua a competitividade do estado – reforçou o secretário.

Na reunião também foram mencionadas a Zona de Processamento de Exportação (ZPE) do Porto do Açu (foto) e a construção da ferrovia EF 118, importante para consolidar as operações de agronegócios em todo o estado, apresentando uma alternativa para a movimentação de fertilizante e para o escoamento de grãos de Minas Gerais e do Centro-Oeste.

– Com a ferrovia, o Rio pode se consolidar como uma nova rota para o agronegócio brasileiro – avalia.

Além disso, foram informados investimentos em pesquisa e desenvolvimento na ordem de R$ 300 milhões em projetos de energia renovável e eficiência energética.

– Isso colocará o Rio de Janeiro na rota da energia renovável e da transição energética, que é da maior importância para a atração de novos investimentos para o estado – concluiu Leonardo.

– O Norte Fluminense vem se preparando e tem plenas condições para ajudar o estado do Rio de Janeiro a retomar o crescimento econômico, reter e atrair novos investimentos de longo prazo – concluiu Eduardo Kantz, representante da Prumo.