Leo Hezer: minha solidariedade aos trabalhadores ambulantes de Cabo Frio

Leo Hezer: minha solidariedade aos trabalhadores ambulantes de Cabo Frio

Minha solidariedade aos trabalhadores ambulantes de Cabo Frio.

Vivemos em um país que já é recordista de desemprego há algum tempo, e com o agravamento da pandemia na economia, o número de desempregados só cresce a cada dia, e empresas declarando falência, quando a saída para esses trabalhadores é empreender, ser autônomo, ainda temos governantes e burocratas que atrapalham esses cidadãos de levar o sustento para a sua própria família, estamos em Cabo Frio e o Estado do Rio de Janeiro, cidade e estado praticamente falidos moralmente, economicamente e politicamente, e ainda há políticos recém eleitos, que perseguem trabalhadores autônomos em plena pandemia, ao invés de se preocupar com a geração de emprego e renda da cidade e vacinação de toda a população, como as cidades vizinhas tem se preocupado, mas parece que para o atual prefeito, aumentar o número de secretários-adjuntos, que trabalham engravatados, no ar-condicionado, que recebem o salário de 7,650,00 R$, de 3 para 50, parece ser a melhor solução de geração de emprego e renda para o município, aumentar o gasto público com comissionados, parece ser a melhor opção, ao invés de pagar o salário dos servidores que estão atrasados. servidores esses que trabalharam incansavelmente nessa pandemia, contra essa doença terrível, que tem levado nossos irmãos brasileiros, ambulantes esses, que estão colocando a cara no sol e gastando sola de sapato, para continuar sustentando a sua família, e pagando as contas, contas que não param de chegar, IPTU, IPVA, e diversos outros impostos, que não param de chegar, até mesmo o salário do prefeito que os perseguem.