Eleição na cidade do Rio tem recorde de abstenção em meio à pandemia, diz especialista

Eleição na cidade do Rio tem recorde de abstenção em meio à pandemia, diz especialista

Capital fluminense já havia registrado, em 2016, a maior abstenção entre as capitais brasileiras, com cerca de 24%. Agora, número subiu 8 pontos percentuais; levantamento é do cientista político Jairo Nicolau

Veja o que disseram Eduardo Paes e Marcelo Crivella após 1º turno das eleições no Rio

A eleição municipal do Rio de Janeiro deste domingo (15) teve o maior percentual de abstenção já registrado na cidade, de 32,79%, em meio à pandemia do coronavírus — com 99,99% das urnas apuradas.

O levantamento é do cientista político Jairo Nicolau, com base em dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Em 2016, a capital fluminense já havia registrado a maior abstenção entre as capitais brasileiras, com 24,28%. Em 2020, o número subiu cerca de 8 pontos percentuais.

Eleição municipal do Rio registra recorde de abstenção neste domingo (15) — Foto: Marcos Serra Lima / G1
Eleição municipal do Rio registra recorde de abstenção neste domingo (15) — Foto: Marcos Serra Lima / G1

Abstenção no município do Rio:

  • 1996 – 16%
  • 2000 – 19%
  • 2004 – 16%
  • 2008 – 18%
  • 2012 – 20%
  • 2016 – 24%
  • 2020 – 32%

Nicolau aposta que a crise sanitária, provavelmente, é a principal responsável pelo aumento.

“A abstenção já vinha crescendo no país. Agora deu um salto. A explicação mais plausível é mesmo a pandemia. A abstenção deve ter chegado a taxas bem altas em bairros onde reside muitos idosos”, opinou.

Fonte: G1