Brasil pode ter hiperinflação e valor do Real pode despencar afirma o Ministro da Economia, Paulo Guedes

Brasil pode ter hiperinflação e valor do Real pode despencar afirma o Ministro da Economia, Paulo Guedes

Brasil corre o risco de entrar em hiperinflação no próximo ano , afirma o Ministro Paulo Guedes

O Brasil pode viver novamente uma hiperinflação tal qual ocorrida entre os anos 1980 e 1990 e, com isso o valor do Real, a moeda nacional, pode despencar e com ele o poder de compra dos brasileiros.

A informação é do próprio Ministro da Economia, Paulo Guedes, que assumiu recentemente que o país pode caminhar para uma cenário caótico na economia se não dar as famosas “pedaladas” que levaram ao Impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff.

“O Brasil pode caminhar para uma hiperinflação muito rápido caso não consiga rolar sua dívida com urgência”, afirmou o ministro.

Hiperinflação

Quando um país vive uma hiperinflação o preço das mercadorias aumenta diariamente, na década passada, por exemplo, o preço dos produtos chegava a ser reajustado até 3 vezes por dia.

Quem viveu este período conta que ao ir pela manhã no mercado o preço era um e no final da tarde era quase 3 vezes maior.

Com um cenário caótico desses há desabastecimento de itens no mercado, além do dinheiro perder constantemente seu valor de compra.

Segundo Guedes, a falta de privatizações também seria responsável pelo possível cenário de hiperinflação já que o Governo teria deixado de arrecadar R$ 1 trilhão com a venda das empresas federais e com isso não precisaria “rolar a dívida”.

“Estou bastante frustrado com o fato de estarmos aqui há dois anos e não termos conseguido ainda vender nenhuma estatal. Por isso, um secretário nosso foi embora Salim Mattar, que deixou o ministério em agosto. Precisamos recompor nosso eixo político para fazermos as privatizações prometidas na campanha”, disse.

Mercado e Bitcoin

Segundo  Antônio da Luz, economista-chefe da FARSUL (Federação da Agricultura e Pecuária do Rio Grande do Sul), o mercado financeiro já sentiu o “cheiro de sangue” do aumento da inflação no Brasil e este desequilíbrio fiscal estaria perto de levar o país a “falência” quando não seria mais possível custear as despesas da nação.

 “Não podemos adotar meia solução; temos de cortar despesas em todos os níveis da máquina pública; precisamos da reforma administrativa para cortar privilégios em todas as instancias; não é mais possível convivermos com altos salários do Judiciário, por exemplo, onde integrantes desse Poder se acham no direito de ter férias de 60 dias… o País não suporta mais esse tipo de despesas.”, disse

No entanto, enquanto o país pode caminhar para um cenário de “caos” econômico, entusiastas de criptoativos indicam que o melhor investimento neste momento de incertezas é comprar Bitcoin.

Nesta linha, Ari Paul, CIO e co-fundador do fundo de hedge de criptomoedas BlockTower Capital, embora não comentando a situação do Brasil, afirmou que o próximo passo parabólico do Bitcoin será em breve desencadeado pela hiperinflação causada pelas políticas monetárias dos bancos centrais.

Já no Brasil, empresários como o CEO da Stratum Rocelo Lopes, indicam que o Bitcoin é o melhor refúgio para preservar o valor do dinheiro e fugir das decisões equivocadas dos governos.

“Só posso dar um conselho: não espere a hiperinflação, compre Bitcoin, invista em criptomoedas e preserve o valor do seu dinheiro, pois na hora que a ‘cobra fumar’ os bancos não vão te ajudar”, disse.

Fonte: Cointelegraph