Tiroteio deixa um morto e 5 baleados na Prainha, em Arraial do Cabo, no RJ

Tiroteio deixa um morto e 5 baleados na Prainha, em Arraial do Cabo, no RJ

Um homem, que era alvo do atentado, chegou a ser socorrido mas não resistiu. Os outros feridos foram encaminhados para o Hospital Geral de Arraial na tarde deste sábado (26).

Um tiroteio na Prainha, em Arraial do Cabo, na Região dos Lagos do Rio, deixou um homem morto e cinco pessoas baleadas na tarde deste sábado (26).

De acordo com testemunhas, um homem chegou atirando em outro no calçadão. A vítima correu para a areia e se misturou com os banhistas. Ainda segundo as testemunhas, um terceiro homem atirou contra o autor dos primeiros disparos.

Os tiros assustaram as pessoas que estavam na praia e cinco banhistas acabaram atingidos. As praias na cidade estão liberadas para banhistas desde o dia 6 de agosto.

As vítimas foram encaminhadas para o Hospital Geral de Arraial do Cabo. O homem que era alvo do atentado não resistiu aos ferimentos.

Prainha, em Arraial do Cabo, estava movimentada quando aconteceu o tiroteio que deixou seis pessoas feridas — Foto: Paulo Henrique Cardoso/G1

Prainha, em Arraial do Cabo, estava movimentada quando aconteceu o tiroteio que deixou seis pessoas feridas — Foto: Paulo Henrique Cardoso/G1

De acordo com a delegada titular da 132ªDP, Patrícia de Paiva, a principal linha de investigação é de que o crime tenha sido motivado por guerra de facções.

“Um homem sofreu um atentado na Prainha. Além dele, outras pessoas, que estavam na praia, foram atingidas por balas perdidas. Imediatamente, nossas equipes de investigadores foram até o local, identificaram testemunhas para prestar depoimento, buscaram imagens de câmeras de segurança e estiveram no hospital ouvindo as vítimas. O inquérito policial foi instaurado para apurar a autoria do crime. A principal linha de investigação é de que tenha sido um ataque de traficantes a um rival, de outra facção criminosa”, disse a delegada.

G1 entrou em contato com o município, que é responsável pelo hospital, para saber o estado de saúde das outras vítimas e aguarda o retorno.

Fonte: G1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *